Ed. Intrínseca

[Resenha] O Menino Que Se Alimentava de Pesadelos

9/26/2021



Livro: O Menino que se alimentava de pesadelos
Autores: Jo Yong e Jam San
Editora: Intrínseca
Páginas: 24
Ano: 2021
Comprar: Físico

"O menino que se alimentava de pesadelos" é uma leitura bem rápida, conta a história de um menino que tinha muitos pesadelos, cansado da situação e querendo esquecer os sonhos que o atormentava, ele decide ir na floresta e pedi a bruxa para que ela tire dele todas essas lembranças ruins, para ele essa seria a melhor solução, a bruxa concorda mas ele e concede seu peido, porém terá que dá algo aparentemente simples e fácil em troca.

Nesse primeiro volume a metáfora é sobre a felicidade, o quanto você está disposto a perde para ser feliz, mas será que vale a pena, esquecer o lado ruim das coisas? É uma reflexão e aprendizado ao final da leitura, nos faz pensar que é preciso viver os maus momentos para podermos desfrutar dos momentos felizes quando ele surge.

A obra contém apenas 24 páginas, frases curtas que dão complemento as imagens, os traços são delicados em estilo gótico que nos passa um sensação de desespero e tristeza por parte do personagem,  a arte é de Jan San.

Esse é o primeiro de cinco livros do drama sul-coreano "It's Okay To Not Be Okay" (Tudo Bem Não Ser Normal) lançado em 2020 na Netflix, contém 16 episódios com mais de 1h de duração.

Sinopse: Com personagens cativantes e uma estética inovadora, o drama sul-coreano It’s Okay to Not Be Okay (Tudo bem não ser normal) conquistou uma legião de fãs ao redor do mundo e movimentou as redes sociais brasileiras a cada novo episódio lançado pela Netflix. Na produção, uma escritora de livros infantis bastante peculiar, um enfermeiro que trabalha em um hospital psiquiátrico e seu irmão mais velho, com transtorno do espectro autista, precisarão enfrentar seus traumas e medos para conseguir vivenciar o amor e criar laços.
Poéticas, impactantes e com belas ilustrações, as obras da personagem Ko Moon-young são os fios condutores da trama e encantaram os espectadores. Agora, esses contos de fadas modernos chegam às mãos do público brasileiro, em narrativas perturbadoras e comoventes que abordam com honestidade e crueza temas como solidão, liberdade, tristeza e afeto.
Em O menino que se alimentava de pesadelos, um garotinho é assombrado por pesadelos terríveis. Para tentar dar fim a esse tormento, vai até as profundezas da floresta e faz um pacto com uma bruxa. Ela apagará todas as lembranças ruins de sua mente, contanto que ele prometa que se tornará um adulto feliz. O acordo parece simples, mas o preço a ser pago caso ele não cumpra a promessa pode ser alto demais.

Séries

[Série] The Walking Dead: World Beyond

9/25/2021

Ano passado comecei a assistir e finalizei a série The Walking Dead, ao terminar fui em busca de outras séries que surgiram como derivada de TWD e tem sua ligações, entre elas encontrei Fear The Walking Dead que atualmente se encontra na 6ª Temporada com estreia da 7ª temporada dia 17 de outubro e irei falar dela pra vocês em breve.

Encontrei também Fear The Walking Dead: Flight 462, Fear The Walking Dead: Passage e Fear the Walking Dead: The Althea Tapes. Todas já finalizadas e que também já assistir. 

E em 2020 estreou The Walking Dead: World Beyond que terá sua 2ª temporada estreada agora dia 3 de outubro que estou aguardando ansiosamente. World Beyond se passa com a geração nascida após os zumbis, a história se inicia dentro de uma comunidade bastante avançada, porém Hope e Iris acreditam que seu pai está correndo algum perigo e partem em busca de chegar até ele, junto com Silas e Elton, dois jovens que não veem motivos para ficar.
Eles tem por objetivo chegar até a República Civil Militar (CRM) e aí é que está  melhor, dá a entender que a série principal em algum momento irá se unir a World Beyond ou o contrário, visto que TWD já deu início a sua última temporada.

Voltando... Dois adultos irão atrás desses jovens Huck e Felix, a tentativa de trazer os jovens de volta a comunidade. Paralelo a isso vamos conhecendo mais sobre a Commonwealth (ou Império).

Particularmente, gostei da série mais achei ela bem arrastada, a história parada, mas que do meio pro fim fica bastante interessante e deixa alguns pontos abertos nos causando curiosidade. World Beyond está definida para ser apenas duas temporadas, então tem muita coisa para acontecer se eles realmente forem fazer uma ligação com TWD e Fear TWD.
Assim como TWD é uma história que vai muito além do zumbi, questões sobre família, amizade, confiança, superação serão tratadas durante o desenrolar da história.


Do que se trata?

A terceira parte da franquia (depois de "The Walking Dead" e "Fear") contará com duas jovens protagonistas femininas e se concentrará na primeira geração a chegar à maioridade no apocalipse, como a conhecemos. Alguns se tornarão heróis. Alguns se tornarão vilões. No final, todos eles serão alterados para sempre. Crescidos e cimentados em suas identidades, boas e más.

Encontra-se na 1ª temporada e possui 10 episódios, já foi renovada para a 2ª e terá sua estreia dia 03 de outubro de 2021.

Conheça alguns dos personagens da série:

Hope Bennett


Iris Bennett


Silas


Elton


Felix Carlucci


Huck

Ed. Intrínseca

[Resenha] A Casa das Marés

9/24/2021



Livro: A Casa das Marés
Autora: Jojo Moyes
Páginas: 384
Ano: 2017
Comprar: Físico

O livro "A Casa das Marés" é dividido em três partes. Na primeira parte conheceremos Lottie e Celia duas jovens criadas como irmãs que ao saberem que a Casa Arcárdia tinha novos moradores decidem ir juntas ver de quem se trata, elas acabaram fazendo amizade com Adeline e os artistas que vivem com ela, com o tempo a casa será conhecida como a casa da artista. Mas nesse meio tempo, quando a mãe de Celia descobre que ela esteva amiga dessas pessoas, envia Celia para Londres e Lottie acaba ficando e ainda escondido visitando Adeline. 

Lottie receberá uma carta de Celia contando a ela que está apaixonada por um rapaz que conheceu Guy e que em breve irá visitá-los, até que chega o dia de receber Celia que leva Guy com ela, ele encantará toda a família e na breve troca de olhar Lottie se apaixonará por ele. 
E é partir desse momento que a história irá se desenrolar, é um bom romance, talvez um pouco clichê, mas é gostoso de se ler, faz com que nos aproximemos dos personagens e torcemos para um final feliz. 

O livro faz com que tenhamos a visão dos diversos personagens da história, começa com o passado e traz para o presente de forma que nenhum  personagem se perde e todos se conectam. 
É um romance que fala sobre amizade, amor, perda, decepções e que mostra como de fato é a vida, mostra que as escolhas só dependem de nós. E que a felicidade nem sempre é aquilo que você tanto deseja. 

É um bom romance e vale muito a pena ser lido. Esse foi a segunda obra escrita pela Jojo e difere bastante das atuais obras escrita por dela, achei o enredo mais lento, mais pausado, mas que ao mesmo tempo instiga a nossa curiosidade com o que acontecerá a cada personagem. É uma leitura envolvente.

Sinopse: Uma história que atravessa décadas e gerações para mostrar que nunca é tarde demais para nos descobrir e correr atrás dos nossos sonhos.
Na década de 1950, Merham não passava de uma cidadezinha litorânea como tantas outras: pacata, tradicional e obcecada pelas aparências. Os homens cuidavam do comércio, as mulheres cuidavam dos filhos e todos tomavam conta da vida dos outros. Até que um boêmio grupo de artistas estrangeiros se muda para a Casa Arcádia, uma bela construção art déco à beira-mar. Ao contrário dos demais habitantes, que logo veem os artistas com maus olhos, temerosos de que possam destruir a boa reputação da cidade, Lottie Swift e Celia Holden não conseguem esconder o interesse pelos novos residentes.
Cinquenta anos mais tarde, quando o passado já parece enterrado e esquecido, a Casa Arcádia é vendida para um empresário que pretende transformá-la em um refúgio de luxo planejado pela arquiteta Daisy Parsons, que chega a Merham para reconstruir não só a casa, mas sua própria vida. Porém, assim como antes, o prenúncio de mudança revolta os moradores, dispostos a tudo para inviabilizar o projeto.
Repleto de encontros emocionantes e segredos revelados, A casa das marés é uma leitura deliciosa e romântica que explora as dinâmicas familiares, antigos amores e traições.

Estreias da Semana

[Filmes] Estreias da Semana no Cinema

9/23/2021



A Abelhinha Maya e o Ovo Dourado

Sinopse: Quando Maya, uma pequena abelha teimosa, e seu melhor amigo Willi resgatam uma formiga princesa, eles se percebem no meio de uma batalha épica de insetos que as levará a novos e estranhos mundos, onde a amizade entre eles será testada até o limite.
Duração: 85 min
Diretor: Noel Cleary
Distribuidora: Playarte
Gênero: Animação
Classificação: Livre


No Ritmo do Coração

Sinopse: Ruby é a única pessoa que não é surda em sua família. Ao mesmo tempo em que enfrenta os dilemas da idade e a responsabilidade de ser a intérprete da família, Ruby descobre seu talento musical. Em meio a dificuldades nos negócios da família, se vê dividida entre seguir sua paixão pela música em outra cidade e o medo de deixar os pais. 
Elenco: Emilia Jones, Marlee Matlin, Eugenio Derbez, Troy Kotsur
Duração: 110 min
Diretor: Siân Heder
Distribuidora: Diamond Filmes
Gênero: Drama
Classificação: 14 Anos


A Garota da Moto

Sinopse: Estrelado por Maria Casedevall, o longa de ação acompanha Joana, uma mãe de família que teve que aprender a defender seu filho com os próprios punhos e, diante de um possível esquema de trabalho escravo, decide agir com as próprias mãos.
Elenco: Maria Casadevall, Gilda Nomacce, Naruna Costa, Duda Nagle e Roberto Birindelli
Duração: 85 min
Diretor: Luís Pinheiro
Distribuidora: Paris Filmes
Gênero: Ação
Classificação: 14 Anos



A Dona do Barato

Sinopse: Patience Portefeux é uma tradutora policial francês-árabe, especializada em escutas telefônicas para a unidade antinarcóticos. Um dia, enquanto escuta os traficantes procurados, ela descobre que um deles é filho da fantástica mulher que cuida da sua mãe. Ela decide protegê-lo e é trazida para o meio de uma rede de traficantes. Quando ela coloca as mãos em uma enorme carga de hash, com a ajuda de seu novo parceiro, o ex-cão policial DNA, ela aproveita a oportunidade e se torna Mama Weed, uma poderosa traficante de drogas, graças à sua experiência de campo... e todas as informações que obtém no trabalho dela! Baseado no aclamado romance de Hannelore Cayre, «La Daronne» (2017). 
Elenco: Isabelle Huppert, Hippolyte Girardot, Farida Ouchani
Duração: 100 min
Diretor: Jean-Paul Salomé
Distribuidora: Imovision
Gênero: Comedia
Classificação: 16 Anos


Oasis Knebworth 1996

Sinopse: Nos dias 10 e 11 de agosto de 1996, 250.000 jovens fãs de música foram ao Knebworth Park para assistir a dois shows do Oasis, que quebraram recordes e definiram uma época. Oasis Knebworth 1996 é a história desse fim de semana e da relação especial entre o Oasis e os fãs que tornou isso possível. A história é contada do ponto de vista dos fãs que estiveram lá e acrescida de entrevistas com a banda e os organizadores do show. Dirigido por Jake Scott com base em várias filmagens do show e filmagens exclusivas nunca exibidas anteriormente, o filme é uma celebração cinematográfica alegre e às vezes comovente de um dos eventos mais importantes dos últimos 25 anos.
Duração: 105 min
Diretor: Jake Scott
Distribuidora: Cinemark Brasil S.A.
Gênero: Documentário
Classificação: Em breve


A Chorona

Sinopse: Alma e seus filhos são assassinados em um conflito armado da Guatemala. Trinta anos depois, é instaurado um processo criminal contra o general aposentado que supervisionou o genocídio. Mas ele é absolvido através de um julgamento e o espírito de La Llorona é desencadeado para vagar pelo mundo como uma alma perdida entre os vivos. À noite, Enrique começa a ouvi-la lamentar. Sua esposa e filha acreditam que ele está tendo crises de demência relacionada ao Alzheimer. Mal poderiam suspeitar que sua nova governanta, Alma, está lá para cumprir a vingança que o julgamento não foi capaz de fazer.
Elenco: Maria Mercedes Coroy, Sabrina de La Hoz, Margarita Kenéfic
Duração: 95 min
Diretor: Jayro Bustamante
Distribuidora: ELITE Filmes
Gênero: Terror
Classificação: 14 Anos


A Casa Sombria

Sinopse: Em A Casa Sombria, lutando por conta da morte inesperada de seu marido, Beth (Rebecca Hall) vive sozinha em sua casa à beira do lago. Ela tenta o melhor que pode para se manter bem, mas possui dificuldades por conta de seus sonhos. Visões perturbadoras de uma presença na casa a chamam, acenando com um fascínio fantasmagórico. Indo contra o conselho de seus amigos, ela começa a vasculhar os pertences do falecido, ansiando por respostas. O que ela descobre são segredos terríveis e um mistério que está determinada a resolver.
Elenco: Rebecca Hall, Stacy Martin, Sarah Goldberg
Duração: 105 min
Diretor: David Bruckner
Distribuidora: Walt Disney
Gênero: Terror
Classificação: Em breve

Ed. Rocco

[Resenha] O Conto da Aia

9/22/2021


Livro: O Conto da Aia
Autora: Margaret Atwood
Editora: Rocco
Páginas: 384
Ano: 2021
Comprar: Físico

"O Conto da Aia" é um livro revoltante, nessa obra as mulheres perdem todos os seus direitos e são divididas entre quem pode ou não gerar filhos. A partir disso, elas perdem seus nomes, são separadas de suas famílias e se tornam Aias, seus únicos objetivos é se preparar para gerar um filho, nossa personagem terá que gerar um filho de um comandante, antes ela era casada, tinha um filha, um emprego, um vida. Agora ela vive na casa desse comandante, não pode opinar, não pode ler, escrever, nem fazer escolhas, mas isso não significa que ela esqueceu como era sua vida, como era ser livre.

"Acidentes não existem. Tudo acontece intencionalmente."

A história será narrada pelo que ela está vivendo como Aia e o passado que ela tinha e como todo essa nova organização da sociedade surgiu. 
A leitura desse livro fui fazendo em doses homeopáticas, pois é muito denso, e como resolvi lê-lo no início da pandemia, me deixei envolver com a escrita e muitas vezes me vi chorando revoltada com as situação pela qual a personagem vivenciava.

"Quando pensamos no passado são as coisas bonitas que escolhemos sempre."

Demorei semanas para saber como escrever essa resenha e ainda acho que não sei como por em palavras o que senti ao ler esse livro, fico indignada toda vez que penso nele, me ponho no lugar da personagem principal e não consigo me ver abaixando a cabeça para fazer o que ela era obrigada a fazer. Não consigo me ver perdendo minha família, me separando de tudo e de todos por conta de uma nova sociedade. 

"A liberdade, como tudo o mais, é relativa."

Acho que eu apertaria o foda-se as novas regras e morreria lutando. É meio revoltante ter sua vida modificada porque alguns acharam que a sociedade deveria mudar. É um livro que me deu raiva, insegurança e medo, porque tudo nesse mundo é possível, infelizmente. E faz com que a gente pense de fato qual o papel da mulher na sociedade e sobre a nossa luta em busca de nossos direitos. Mostra também que dá poder a pessoas com pensamentos retrógrados, misóginas e que prega a violência pode levar ao extremismo e isso é algo a ser pensando com relação a nossa sociedade atual.

Sinopse: O grande clássico distópico de Margaret Atwood chega às livrarias brasileiras agora em nova edição em capa dura, com nova diagramação e texto extra.
O romance distópico O conto da aia, de Margaret Atwood, se passa num futuro muito próximo e tem como cenário uma república onde não existem mais jornais, revistas, livros nem filmes. As universidades foram extintas. Também já não há advogados, porque ninguém tem direito a defesa. Os cidadãos considerados criminosos são fuzilados e pendurados mortos no Muro, em praça pública, para servir de exemplo enquanto seus corpos apodrecem à vista de todos. Para merecer esse destino, não é preciso fazer muita coisa – basta, por exemplo, cantar qualquer canção que contenha palavras proibidas pelo regime, como “liberdade”. Nesse Estado teocrático e totalitário, as mulheres são as vítimas preferenciais, anuladas por uma opressão sem precedentes. O nome dessa república é Gilead, mas já foi Estados Unidos da América.
Uma das obras mais importantes da premiada escritora canadense, conhecida por seu ativismo político, ambiental e em prol das causas femininas, O conto da aia foi escrito em 1985, mas ganhou status de oráculo após a eleição de Donald Trump nos EUA, voltando a ocupar posição de destaque nas listas dos mais vendidos em diversos países 30 anos após o seu lançamento, além de ter inspirado a série homônima (The Handmaid’s Tale, no original em sua 4ª temporada), produzida pelo canal de streaming Hulu .