[Resenha] A Princesa Prometida

10/08/2019


Livro: A Princesa Prometida
Autor: William Goldman
Páginas: 416
Ano: 2018
Comprar: Físico

A Princesa Prometida é uma história dentro de uma história. Como assim?
O livro é a história de William Goldman uma autor que trabalha como roteirista e nos 10 anos de seu filho resolve dá a ele de presente o livro a Princesa Prometida, escrito Morgenstern, mas por que esse livro.

"Nunca tive um pouco de senso crítico. Tudo que escrevo é por impulso. Isso me parece bom, aquilo me parece ruim; bem assim. Não consigo analisar, pelo menos não minhas próprias ações."

Quando Willy era criança e esteve doente por conta de uma pneumonia, seu pai lia para ele todas as noites a história de Buttercup, uma jovem muito bela, que se apaixona por Westley , um jovem que trabalha na fazenda de seus pais. E quando ela declara seu amor por ele, ele resolve ir embora e ganhar dinheiro para voltar e ficar com ela.
Westley vai embora e seu navio é capturado pelo infame pirata Roberts, paralelo a isso o príncipe de Florin precisa encontrar uma noiva e decide que será a princesa de Guilder uma terra vizinha que a muito tempo ele quer tomá-la para si.

"O amor é muitas coisas, e nenhuma delas envolve lógica."

Nesse meio tempo Buttercup acaba ficando noiva do príncipe Humperdinck, mas é sequestrada por Inigo (o maior bruxo de esgrima que existia) e Fezzik (o melhor lutador de todos os tempos).
Preciso interromper para dizer que, a todo custo o Willy queria dá a seu filho esse livro e acaba conseguindo, mas o garoto não o ler, pois não consegue prossegui após o primeiro capítulo, ele sem entender o motivo disto resolver ler por si próprio a história e começa a perceber que seu pai só tinha livro as melhores partes do livro, pulando as partes onde havia detalhes e mais detalhes. E a partir daí, o William resolver fazer uma reedição do livro só com as partes boas da história.

"- A vida é sofrimento - retrucou a mãe. - Se alguém lhe disser o contrário, é porque está tentando vender algo."

Voltando, Buttercup é sequestrada e o homem de preto irá salvá-la, mas ela terá uma grande surpresa. A história dela, de Inigo, Fezzik e do príncipe tem ligações e os motivos não são aleatórios.
Não sei se você gostou da resenha desta forma, contada com intromissões, mas o livro é assim, uma hora estamos mergulhados na história de Buttercup e outra hora estamos conversando com o William e sabendo os motivos que o levaram a fazer a reedição e o que foi acontecendo em sua vida enquanto ele trabalhava nesse livro.

"O mais importante do choro é que, quando estamos aos prantos, achamos que vai durar para sempre, mas na maioria das vezes não dura nem metade disso."

Confesso que nas melhores partes do livro somos interrompido, é uma história que trás lutas, amor verdadeiro, vinganças, ódio, etc. A história consegue nos fazer rir durante a leitura e apesar das abordagens do autor em itálico para diferenciar um momento do outro, não ficou cansativo.
Em 1987, foi estreado o filme baseado neste livro, estrelado por Cary Elwes, Robin Wright, Mandy Patinkin.


Sinopse: Buttercup é uma camponesa que se apaixona perdidamente por Westley, o jovem humilde que trabalha na fazenda do pai dela. Juntos, eles descobrem o amor verdadeiro, mas um trágico acidente envolvendo um navio pirata os separa.
Em poucos anos, Buttercup se torna a mulher mais bonita de todos os reinos e acaba sendo pedida em casamento pelo sádico príncipe Humperdinck. Mas nada, nem um poderoso príncipe amante da caça, é capaz de separar esse amor, e o destemido Westley volta para resgatar sua princesa que foi prometida a outro.
Em uma paródia aos épicos clássicos, William Goldman escreve um divertido romance com direito a tudo que o gênero tem a oferecer: piratas, duelo de esgrima, traições, tramas políticas da realeza e um romance apaixonante. Esta edição de luxo em capa dura traz os textos extras que William Goldman escreveu para as edições comemorativas de 25 e 30 anos da obra original - que misturam ficção e realidade e ajudam a compor o universo emblemático que transformou a obra em um fenômeno.



0 comentários

Obrigada pela sua visita!
Volte Sempre!