[Resenha] Os 27 Crush de Molly

1/17/2020


Livro: Os 27 Crushes de Molly
Autora: Becky Albertalli
Páginas: 318
Ano: 2017
Comprar: Físico

Sabe aquele livro que você se identifica com a personagem? Pois é! Me identifiquei muito com a Molly. Antes de explicar o por que deixa eu contar um pouco da história.
Molly está na adolescência, pior fase da vida de um ser humano, já sofreu alguns bullying por ser gorda, tem uma irmã gêmea a Cassie, que é bem o oposto dela, mas pelo menos elas se dão super bem, é apaixonada por artesanato e já teve 26 crush na vida, sim ela se apaixona mas nunca demonstra ou se envolver por receio de ser gorda.

"A questão é o seguinte: estou acostumada a ouvir que tenho um rosto bonito. Ou cabelo bonito, ou olhos bonitos. Mas é diferente ser chamada de linda. Só linda, sem condições."

Molly, conhece a Mina e a apresenta a sua irmã e a Olivia sua amiga, porém, acaba que Mina e Cassie começam a namorar, Olivia já tem um namorado que mora em outro lugar e sua melhor amiga e prima a Abby também está namorando com o Nick e elas só se falam por mensagens sempre que possível, todas namorando e Molly solteira, então Cassie decide que está na hora de Molly arrumar seu 27 crush e a todo custo ela quer que seja o Will, melhor amigo da Mina, para que elas fiquem próximas, mas aparentemente Molly está apaixonada pelo Reid, um jovem que trabalha com ela, só que não admite isso para si nem para ninguém e vai na onda de sua irmã de tentar ficar com o Will.

"Quero saber como é ter uma paixonite que talvez um dia possa perfeitamente se tornar um namorado."

Nossa querida personagem sente um pouco de inveja por elas terem um relacionamento e quer também, se envolver com alguém, mas ela nunca deu nem um beijo e sempre ficar nervosa perto de um garoto, mas não perto do Reid, até que a conversa flui bem com ele.
Agora por que eu me identifiquei com a personagem?

"Odeio odiar meu corpo. Na verdade, nem odeio meu corpo. Só fico com medo de todo mundo odiar."

O livro sempre trás a questão da vergonha de Molly por ser gorda e achar que nunca será aceita, que sempre o que pesa em um relacionamento é o físico. É foi ai que me identifiquei com ela, é difícil ser gorda, ter que tá sempre ouvindo "você precisa perder peso", ou "se você continuar assim ninguém vai te querer", ou "até que você é bonita pra uma gordinha". Gente, caiam na real, isso machuca e incomoda bastante, sem falar que a mente fica a mil e prega peças o tempo todos, é praticamente uma guerra interna. E é isso que Molly vive, uma guerra interna e o corpo dela reage como uma crise de ansiedade e isso é um ciclo que parece não ter fim.

"Minha cabeça está sempre tão abarrotada de pensamentos que às vezes parece impossível me desligar um pouquinho dessa tensão perpétua..."

A autora além de trazer a questão como crise de identidade, o se aceitar com o corpo que tem e o drama da adolescência, ela também trás a questão da sexualidade e dá aprovação do casamento homossexual. É uma história envolvente e fluída, li em um dia. E vale a pena todos lerem e se por um pouco no lugar da Molly.

Sinopse: Molly já viveu muitas paixões, mas só dentro de sua cabeça. E foi assim que, aos dezessete anos, a menina acumulou vinte e seis crushes. Embora sua irmã gêmea, Cassie, viva dizendo que ela precisa ser mais corajosa, Molly não consegue suportar a possibilidade de levar um fora. Então age com muito cuidado. Como ela diz, garotas gordas sempre têm que ser cautelosas.Tudo muda quando Cassie começa a namorar Mina, e Molly pela primeira vez tem que lidar com uma solidão implacável e sentimentos muito conflitantes. Por sorte, um dos melhores amigos de Mina é um garoto hipster, fofo e lindo, o vigésimo sétimo crush perfeito e talvez até um futuro namorado. Se Molly finalmente se arriscar e se envolver com ele, pode dar seu primeiro beijo e ainda se reaproximar da irmã.Só tem um problema, que atende pelo nome de Reid Wertheim, o garoto com quem Molly trabalha. Ele é meio esquisito. Ele gosta de Tolkien. Ele vai a feiras medievais. Ele usa tênis brancos ridículos. Molly jamais, em hipótese alguma, se apaixonaria por ele. Certo?Em Os 27 Crushes de Molly, a perspicácia, a delicadeza e o senso de humor de Becky Albertalli nos conquistam mais uma vez, em uma história sobre amizade, amadurecimento e, claro, aquele friozinho na barriga que só um crush pode provocar.

0 comentários

Obrigada pela sua visita!
Volte Sempre!